AMIGOS E AMIGOS

           

           Amigos nascem em momentos diversos da vida.

        Amigos de infância e adolescência, talvez por terem sido moldados em fases de mudança e descobertas, são aqueles que permanecem por muito tempo, às vezes até para sempre e ninguém nem liga se o partido político, o time de futebol, a carreira e até os gostos se tornaram tão diversos dos seus. Era aquele amigo que estava lá quando você levou um tombo feio, seu pai brigou com você, sua professora lhe deu um zero e seu cachorro morreu. Era aquele amigo que lhe ouviu contar por dezenas de vezes o encontro com o primeiro namorado ou pior, o primeiro “pé na bunda”. (Desculpe o vocabulário chulo, mas gosto dessa expressão tão fidedigna!)

        Amizade é uma coisa estranha. Muitas vezes não se explica porque, de verdade, se fôssemos tentar explicar, o racional olharia bem para nós e perguntaria?

         - Por que mesmo que você é amiga dessa pessoa?

         - É que... que...

        E a tal explicação sairia bem difícil, se é que se conseguiria explicar. A empatia nasce com um sorriso, um carinho que ficou e está pouco se importando se vocês são de planetas distantes.

         Há amigos e não tão amigos assim. Eu explico. Da mesma maneira que o amor, há amizades não correspondidas. Quando você chama alguém de amigo, mas só você o é.  São aqueles “amigos” que têm certeza de que só vieram ao mundo para serem servidos. Não lhe dão atenção, não lhe procuram com frequência, não lhe telefonam no seu aniversário, não ficam do seu lado nos momentos mais difíceis da vida, e, por mais que você queira se enganar, ele ou ela não é seu amigo. Só você é dele ou dela. Em certo sentido, uma amizade não correspondida é muito mais triste do que um amor não correspondido. Amores exigem exclusividade, amizades só pedem o gostar, mas necessitam de dedicação e carinho constantes. É muito diferente de ser colega ou conhecido.

          Claro que a amizade pode nascer de um coleguismo. Por que não?São momentos em que se está próximo e dividir a vida não é tarefa difícil. Mas o tempo passa, as pessoas mudam, a vida toma outros rumos e aquela amizade só se perpetuará se houver um esforço e um querer de ambas as partes.

        Tenho muitos amigos e muito diferentes uns dos outros. Pertencem a tribos diferentes e cada um deles me completa a seu modo. Sinto saudades dos amigos. Sinto ciúmes dos amigos. Sinto que não seria quem sou se não tivesse encontrado cada um no meu caminho.

           Amizade dá trabalho sim, mas também dá um enorme prazer. Encontrar um amigo para um café, jogar conversa fora, lembrar de histórias divertidas, dar um longo e demorado abraço, dividir as dúvidas, ouvir conselhos e, principalmente, saber que, se a tempestade desabar ele estará ali para lhe segurar o guarda-chuva. O que seria a vida sem isso?

 

                                                           São Paulo, 07/11/20