ESSA ESTUPIDEZ CHAMADA ESCOLA SEM PARTIDO        

 

             

            Estudei em escola religiosa. Estudei em escola laica. Tive professores de direita, de esquerda, de centro. E dessa diversidade de ideias, aliada a muito estudo, pude formular minha própria visão de mundo. Só famílias muito autoritárias e retrógradas para querer que seus filhos tenham contato apenas com o seu jeito de enxergar a realidade.

            Meus pais nasceram em 1923. Frutos da classe média da época, tinham posições que em seu tempo eram completamente aceitáveis, algumas até louváveis, mas que hoje seriam consideradas abomináveis. E foram os muitos professores que tive, que aos poucos foram mostrando que nem sempre meus pais estavam corretos. Isso em nada diminuiu meu amor por eles, mas é muito bom saber que, olhando pra trás, não penso como meus pais pensavam.

           É justamente o acesso à pluralidade de ideias, direito garantido pela constituição brasileira no que se refere à educação, que torna uma sociedade melhor. Do debate constante de posições de mundo contrárias surgem outras visões, algumas completamente novas e melhor aprimoradas que as antigas e que são fundamentais para que o ser humano seja cada vez mais respeitador do outro e das ideias do outro e que a vida em coletividade também seja cada vez mais feliz.

        O mundo evolui. A educação nas mais diversas instituições de ensino acompanha essa evolução muito mais do que a família, justamente porque não está centrada em uma única bolha, mas dialoga constantemente com novos pensamentos, com pessoas diferentes e ajuda a construir a riqueza do conhecimento.

            É muito triste ver famílias que lutam pelo retrocesso, pelo atraso da sociedade. No fundo, essas pessoas temem que suas concepções sejam tão frágeis que, quando confrontadas com argumentos de outros, possam ruir e assim, autoritariamente, querem negar aos seus filhos o acesso ao conhecimento de opiniões alheias. Querem lhes negar o direito mais básico que é a liberdade para conhecer, escolher e construir seu próprio caminho.

             Somente um povo medíocre tem medo do livre pensar.

 

                                                                                   São Paulo, 6/11/2018