INGENUIDADE

              Alguém me conta a história. Não acredito. Igual São Tomé, vou ver pra crer. E não é que é verdade? O fato se passou na Páscoa. Era só mais uma das centenas de encenações da Paixão de Cristo espalhadas pelo Brasil. Desta vez, em uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul chamada Nova Hartz.( o que será que quer dizer esse Hartz??) Bem, não importa. O fato é que um homem invadiu a encenação para ”salvar” Jesus de um soldado romano.

          Justamente na hora em que um dos atores se aproximou como uma lança para fazer de conta que estava ferindo Jesus, o desconhecido atacou o ator batendo em sua nuca, chutando e gritando: “seus demônios, eu vim para salvar Jesus”. E o coitado do ator só não se machucou mais porque usava um capacete e os colegas que também estavam no palco correram para ajudá-lo, o que fez com que a apresentação de teatro fosse interrompida.

          Algumas notícias disseram que o agressor usava drogas, outras, que sofria de distúrbios mentais e outras ainda, que ele era apenas ingênuo e acreditou que a encenação fosse real. Vi o vídeo que circulou pela internet. Não dá pra saber. Pode ser qualquer uma das três hipóteses.

          Entretanto, na hipótese de drogas ou distúrbios posso compreender, mas sempre me surpreendo que possam existir pessoas tão ingênuas. Dou risada como todo mundo de histórias assim, mas, depois, quando fico sozinha, fico triste. A ingenuidade me entristece.

          Parece que não há como ensinar uma pessoa a deixar de ser ingênua. Ela tem fé no que vê e no que ouve. Não foi treinada para desconfiar. São pessoas que compram terrenos na lua, entram em rifas de barras de ouro, aceitam ajuda de estranhos bonzinhos no caixa eletrônico, caem em golpes do baú, acreditam em qualquer história sem questionar, assinam papéis sem ler e por aí vai.

          Até é possível que o ingênuo aprenda depois de ser enganado a não cair mais no mesmo golpe, mas, e todos os outros? A imaginação dos golpistas parece ser ilimitada.

          Semanalmente, recebo em meu e-mail uma promessa de uma fórmula mágica para ganhar na loteria. Tem golpe pior? Por que alguém venderia a fórmula mágica para os outros e não usaria para si próprio, ficaria milionário e nunca mais precisaria vender a fórmula mágica? Será que alguém acredita nisso?

          Temo que sim. É mais fácil do que agredir o soldado que queria espancar Jesus.

                                                                             São Paulo, 24/04/2018