A FLECHA DE DEUS

 

          A Flecha de Deus é o último livro da trilogia africana do escritor nigeriano Chinua Achebe composta por O Mundo se Despedaça(1958)  e A Paz dura Pouco (1960). Apesar dos três romances serem independentes e cada um trazer uma história diferente, todos têm, como pano de fundo, o conflito de culturas que ocorreu na Nigéria durante a ocupação britânica.

      Em razão disso, para se ter uma visão completa de como esse processo se deu, é importante a leitura dos três livros e, se possível, respeitando a ordem cronológica de seus lançamentos.

     Em A Flecha de Deus, a colonização pela Inglaterra já está bastante adiantada. O protagonista não é mais da família Okonko como foi nos dois primeiros livros. Agora, o protagonista chama-se Ezeulu, o sumo sacerdote de toda Umuaro, uma união de seis aldeias. Essa união entre aldeias se deu porque seus habitantes entenderam que juntas elas seriam mais fortes, entretanto, quando a união ocorreu, as aldeias abriram mão de seus deuses e de seus sacerdotes, passando então todas as aldeias a acreditar em Ulu e viver sob as ordens de Ezeulu, o porta-voz, aquele que recebe as mensagens de Ulu. Essa transição não foi fácil e provocou muitos ressentimentos entre os habitantes das outras aldeias, mantendo Ezeulu o tempo todo sob forte questionamento sobre seus direitos.

       Esse questionamento se intensifica ainda mais quando Ezeulu manda seu filho Oduche estudar na escola do homem branco. Oduche vai adquirir valores do homem branco e desprezar tradições de sua cultura, o que acirra as críticas das outras aldeias sobre Ezeulu. Afinal, se o próprio filho do sumo sacerdote não segue as tradições por que os outros habitantes devem obedecê-las?

        Desta forma, muitas ordens que eram seguidas porque sempre se acreditou serem desejos de Ulu começam a ser questionadas, como por exemplo, matar gêmeos no nascimento. Em virtude disso, o homem branco e suas crenças passam a ser uma alternativa para qualquer habitante de Umuaro. A partir daí, há a possibilidade de desobedecer Ezeulu e ser acolhido pela religião do homem branco.

       No momento da história de A Flecha de Deus, a colonização britânica já está solidificada e resta apenas um último passo, a estrada que ligará a cidade do homem branco às aldeias de Umuaro. O simbolismo da estrada, escolhido por Chinua Achebe, traduz muito bem a morte da cultura das aldeias. Com a conclusão da estrada, o homem branco chegará definitivamente para impor seus hábitos e costumes.

Vídeo-resenha: https://www.youtube.com/watch?v=6MFIV5L_Ew4

FICHA TÉCNICA

Título Original – Arrow of God

Edição Original – 1964

Edição utilizada nessa resenha – 2011

Editora Companhia da Letras – São Paulo

Número de páginas – 338