AS ÚLTIMAS CRÔNICAS DE MACHADO DE ASSIS


Dissertação de Mestrado

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

09/03/2004

O objetivo desse trabalho é analisar a série de crônicas A Semana, escrita por Machado de Assis e publicada no jornal fluminense A Gazeta de Notícias, a qual se inicia em 24 de abril de 1892 e se estende até 11 de novembro de 1897, além de duas crônicas que foram publicadas em 1900, quando Machado substituiu Olavo Bilac que, por sua vez, o havia substituído em definitivo quando encerrou sua participação em A Semana em 1897.

A análise de uma série tão ampla quanto A Semana, ao todo são 248 crônicas, impõe uma seleção quanto aos aspectos a serem pesquisados, discutidos e analisados. Em um primeiro momento, este trabalho pretende descobrir sobre o que escrevia o mestre no final de sua carreira, quais eram os temas recorrentes que dominavam a preocupação do cronista e o porquê destes temas. E em um segundo momento, de que forma se dava a construção textual dessas crônicas.

Palavras-chave: crônica, A Semana, Machado de Assis, Gazeta de Notícias, jornal

TEMPO E ARTISTA. CHICO BUARQUE, AVALIADOR DE NOSSA COTIDIANIDADE

 

Tese de Doutorado

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

19/09/2014

A tese Tempo e Artista. Chico Buarque, avaliador de nossa cotidianidade analisa, dentre as canções que fazem parte da obra musical do compositor Francisco Buarque de Hollanda, aquelas que abordam o cotidiano. O objetivo desta tese é demonstrar como essas canções, mais do que retratarem o cotidiano, também avaliam o dia a dia da sociedade brasileira criando ou destacando ideias e conceitos que são aceitos por uma grande parcela da população nacional entre as décadas de 60 até os anos 2000.

Esta pesquisa também busca evidenciar como as letras das músicas compostas pelo artista se assemelham a crônicas, tanto pela estrutura do texto, como em virtude da escolha das temáticas e do compromisso com a realidade em que as mesmas surgem.

O percurso deste trabalho iniciou-se com a contextualização da vida e obra do compositor, seguida por uma extensa investigação e captura nos principais veículos de comunicação da época, o que permitiu constatar como a credibilidade do artista foi sendo construída e fortalecida, a ponto do compositor ser considerado praticamente uma unanimidade, tanto entre as camadas mais instruídas da população como também pelos segmentos mais populares, que admiravam o samba buarqueano. Desta forma, autor de uma obra diferenciada, Chico Buarque obteve o endosso para ser o avaliador de nossa cotidianidade.

A análise de um total de 24 canções representativas das cinco décadas possibilitou destacar como a poética buarqueana foi delineada e quais os temas que o compositor pinçava ao cotidiano. Finalmente, este estudo espera ter conseguido comprovar como a obra musical de Chico Buarque mostrou, avaliou e interferiu no cotidiano brasileiro.

Palavras-chave: Chico Buarque de Hollanda. cotidiano. música. crônica. cancioneiro. mito.