ANTES DE NASCER O MUNDO

 

          A obra do escritor moçambicano Mia Couto é vasta. Ele tem, atualmente, cerca de trinta livros publicados dos mais diversos gêneros: poesias, romances, contos, crônicas e até livros infantis.

          Sua narrativa é sempre muito carregada de poesia. Na verdade, Mia Couto começou sua carreira literária como poeta com o livro de poemas Raiz de Orvalho. Já seu primeiro romance e até hoje talvez seu livro mais conhecido, Terra Sonâmbula, foi considerado um dos dez livros africanos mais importantes do século XX.

      Em 2013, o escritor foi homenageado com o Prêmio Camões, o mais importante prêmio de literatura em língua portuguesa.

         Acredito que há duas grandes marcas na obra de Mia Couto. A primeira é sua relação com a sua terra, Moçambique. A terra, de forma literal ou figurada, é quase um personagem em seus romances. Já a segunda é a linguagem que é muito diferenciada. Mia Couto escreve uma prosa carregada de poesia e de neologismos, ou seja, ele cria novos termos que se encaixam perfeitamente à história. A linguagem individualizada é tão forte e tão constante que, às vezes, temos a impressão de que Mia Couto escreve sempre o mesmo livro, o que não é verdade. Sua maneira de narrar é que praticamente não se altera de um romance a outro.

       Antes de Nascer o Mundo conta a história de um homem que depois de passar por um grande sofrimento se muda com os dois filhos e um empregado para um acampamento abandonado no meio da savana moçambicana. Completamente isolados, ali eles vão criar um novo mundo chamado Jesusalém, onde Jesus haveria de se descrucificar. Para isso, há uma enorme cruz na entrada do acampamento.

        Silvestre, o pai dos garotos, é um personagem enigmático. A gente nunca sabe se ele é um vilão, uma vítima ou apenas um louco. Em Jesusalém todos são rebatizados enquanto esperam Deus vir pedir desculpas.  Pelo quê? Isso também é um mistério.

       Não é apenas o acampamento que é misterioso, as pessoas também são muito diferentes. Mwanito, o garoto mais jovem, por exemplo, é dono de um surpreendente talento: ele é um afinador de silêncios, algo nunca visto. E é ele também o narrador dessa história.

         Por que eles estão ali? O que aconteceu com a mãe dos garotos? O mundo acabou do lado de fora de Jesusalém? Todas essas perguntas vão ficando cada vez mais presentes à medida que os filhos crescem e exigem respostas.

       Entender todos os motivos para aquele desterro do mundo, faz com que o leitor também, como os garotos da história, leiam ávidos em busca de respostas.

Vídeo-resenha: https://www.youtube.com/watch?v=aVFc9wPtV2g

 

FICHA TÉCNICA

Título Original – Jesusalém

Edição Original – 2009

Edição utilizada nessa resenha – 2016

Editora Companhia da Letras – São Paulo

Número de páginas – 278