COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE

            Muita gente confunde o romance Como Água para Chocolate, da autora mexicana Laura Esquivel, com o romance Chocolate, lançado em 2001´, que fez grande sucesso no cinema tendo Jhonny Depp e Juliette Binoche, nos papéis principais.

             Como água para Chocolate também foi levado ao cinema anos antes, em 1992, e também teve sucesso. Aliás, Laura Esquivel começa sua carreira profissional justamente como roteirista, na década de 80, e esse é o seu primeiro romance que ela mesma vai roteirizar para o cinema.

             Como muitos livros daquela época, Como água para Chocolate é do gênero literatura fantástica, uma vez que os alimentos cozinhados pela protagonista Tita, ganham poderes especiais. Ao longo do romance, várias receitas típicas mexicanas vão aparecendo, recurso que também foi utilizado por Jorge Amado em Dona Flor e seus dois maridos, muitos anos antes, em 1966. Assim, nós podemos identificar as influências que Laura Esquivel teve, como também a quem ela influenciou. Isso é comum em literatura. Todo escritor reproduz em suas obras o que lê, o que vê ou o que aprende.

            A história de Como Água para Chocolate traz a vida de Tita, cozinheira de mão cheia, e a filha mais nova da amarga e dominadora Elena que, pela tradição familiar, não pode se casar porque terá de cuidar de sua mãe na velhice. Entretanto, Tita se apaixona por Pedro, mas justamente por causa dessa absurda tradição familiar, não pode viver essa paixão.

            Surpreendentemente, Pedro se casa com a irmã de Tita para poder ficar perto de sua amada. Obviamente, essa não foi uma grande ideia. Amor perto é muito mais difícil de esquecer e superar, pior ainda se esse amor mora na mesma casa.

         É um livro leve, gostoso de ler, sem grandes pretensões literárias, mas que agrada bastante, principalmente, por evocar cheiros e sabores. São 12 capítulos, cada um relacionado a um mês do ano e todos se iniciam com uma receita que dá nome ao capítulo, como bolo Chabela, torta de Natal, Guisado de Peru, etc... É uma estrutura bem diferente para um romance e a receita, que pode ser bem exótica, tem sempre a ver com a narrativa daquele capítulo. Acho bastante interessante essa ideia de misturar comida a amor, raiva, paixão...

           Quase 30 anos depois, a escritora lançou uma continuação chamada O Diário de Tita, que também recomendo a leitura. Uma curiosidade: Laura Esquivel, que hoje tem 70 anos, entrou para a política e, desde 2015, é Membro da Câmara dos Deputados do México.

Vídeo-resenha: https://www.youtube.com/watch?v=IAOzaJ8o7D8&t

FICHA TÉCNICA

Título Original – Como agua para chocolate

Edição Original – 1989

Edição utilizada nessa resenha – 1995

Editora Record/Altaya – Rio de Janeiro

Número de páginas – 206