FOGO&SANGUE

               

 

 

              Creio que um dos trabalhos mais difíceis quando se fala em literatura de ficção é criar um mundo novo com hábitos e costumes muito diversos dos nossos, com centenas de personagens diferentes e ainda uma trama que prenda o leitor. Quem assistiu a série Game of Thrones ou leu os livros As crônicas de gelo e fogo de George Martin que deram origem à série, sabe exatamente do que estou falando.

          Game of Thrones ou Guerra dos Tronos, como foi traduzido, é o título apenas do primeiro volume, mas a série televisiva já cobriu e ultrapassou os cinco volumes que George Martin publicou. Assim, o esperado por milhares de leitores era que ele terminasse a saga em livros. Entretanto, para surpresa geral, da mesma maneira como ele mata um personagem importante de forma inesperada, também foi surpreendente que o livro lançado em 2018, ao invés de ser a continuação da saga, fosse Fogo&Sangue, situado séculos antes de As crônicas de gelo e fogo e que fala da criação de Westeros.

          Westeros é a região dos 7 reinos governada pelo Trono de Ferro e que foi criada pela Dinastia Targaryen. Os Targaryen tinham cabelo cor de prata, olhos violeta e puro sangue valiriano. Doze anos antes da destruição de Valíria, que era a maior cidade do mundo conhecido, os Targaryen acreditaram em uma profecia de que Valíria seria destruída e se mudaram com todos os seus parentes, riquezas e seus dragões para a Pedra do Dragão.

          Quando a profecia se concretizou e Valíria desapareceu, os Targaryen se tornaram os únicos senhores de dragões e, por isso mesmo, detinham um enorme poder.

             O livro trata desde a fuga de Valíria, a criação de Westeros e a unificação do reino sob o domínio de Aegon I e a submissão das outras seis grandes casas. Apesar de casarem entre si, irmão com irmã, tio com sobrinha, primos...os Targaryen estavam sempre brigando entre si pelo direito à coroa. O que esse livro vai mostrar é justamente as muitas e muitas disputas pelo poder.

           O novo romance não tem o mesmo ritmo ou mesmo encanto de As crônicas de gelo e fogo. Não há uma trama única ou um personagem que a gente possa seguir. O livro cobre 300 anos e os reis e rainhas Targaryen morrem e vão sendo substituídos. A narrativa é como se fosse a junção de vários registros dos mestres e também os relatos de um bobo da corte chamado Cogumelo. Apesar de ter belas ilustrações, feitas por Doug Wheatley, ter personagens e cenários conhecidos que nos remetem à série Game of Thrones, o novo livro de George Martin deixa a desejar e não se compara em qualidade à Guerra dos Tronos.

         É uma leitura tranquila, mas não muito mais do que isso. Entretanto, como vem indicado que é o primeiro volume e faltam muitos séculos para chegar à história de Game of Thrones é bem provável que o escritor americano ainda publique outros volumes para compor toda a dinastia Targaryen e a criação de Westeros, o que significa que ainda vamos ter de esperar para ver o fim da saga em livro. Já a série promete terminar em 2019.

Vídeo-resenha: https://youtu.be/5mRWP9KI1nA

FICHA TÉCNICA

 

Título Original – Fire and Blood

Edição Original – 2018

Edição utilizada nessa resenha: 2018

Editora Suma – Rio de Janeiro

Páginas: 598