NORWEGIAN WOOD

 

            

 

 

       O escritor japonês Haruki Murakami é um autor extremamente diversificado.  Suas histórias ou suas escritas transitam pelo surrealismo, pelo fantástico, pelo nonsense e por histórias de amor dentro de um contexto absolutamente real. Um bom exemplo são os três posts que foram feitos para o canal Biblion: O Elefante Desaparece, a trilogia 1Q84 e agora, Norwegian Wood.

         Apesar de ter nascido e vivido no Japão a maior parte de sua vida, Murakami também tem influências ocidentais na sua narrativa, pois morou quatro anos nos Estados Unidos e deu aula na Universidade de Princeton. A música ocidental e sua paixão por gatos, constantemente estão presentes em suas histórias.

        O livro, ambientado nos anos 60, tem o mesmo título da famosa música dos Beatles, Norwegian Wood, ou madeira norueguesa, mas essa expressão só tem sentido na canção. Para o livro, o título foi escolhido porque essa música era a preferida de Naoko, uma das protagonistas.

       Naoko era a namorada de kasuki, o melhor e único amigo de Toru Watanabe, o protagonista e narrador do livro. A história começa com Toru já com 37 anos dentro de um avião que acabou de pousar. Começa a tocar a música Norwegian Wood, canção que lhe remete às lembranças de juventude, que então ele passa a contar.

        Em 1968, Toru é um estudante de teatro que mora em um alojamento apenas para rapazes e vive muito solitário. Seu único amigo, Kasuki, se suicidou com apenas 17 anos, o que marca para sempre a sua vida e a de Naoko, ao mesmo tempo que cria entre os dois um laço indissolúvel. Entender a morte e suas consequências produz uma das frases mais importantes do livro, quando Toru compreende que “a morte existe não como o contrário da vida, mas como parte dela”.

      É uma história de amor delicada, sensível, que passa por acontecimentos extremamente dolorosos para quatro jovens Toru, Naoko, Kasuki e Midori. A narrativa de Toru em primeira pessoa possibilita que nós leitores acompanhemos suas angústias suas descobertas e seu amadurecimento.

        Muita gente pensa que Norwegian Wood é um romance autobiográfico porque Toru vai fazer faculdade de teatro em Tokio como Murakami fez dramaturgia, mas o próprio Murakami já desmentiu essa versão em entrevista. Ele disse: “Fui buscar os detalhes do quotidiano do protagonista aos tempos da minha vida acadêmica. Em resultado disso, muita gente pensa que se trata de um romance autobiográfico, mas está longe de o ser. A minha juventude foi muito menos dramática e bastante mais monótona.” - garantiu o escritor japonês.

        Publicado em 1987, Norwegian Wood rapidamente se tornou um sucesso no Japão com mais de 4 milhões de exemplares vendidos, sucesso que depois também aconteceu em inúmeros países, transformando Murakami em um escritor de best sellers. Em 2013, foi lançado o filme baseado no romance, também totalmente ambientado no Japão, mas que não fez tanto sucesso quanto o livro.

 

Vídeo-resenha: https://www.youtube.com/watch?v=FdKXuYv4QWY

FICHA TÉCNICA

Título Original – Noruei No Mori

Edição Original –  1987

Edição utilizada nessa resenha – 2018

Editora Alfaguara – Rio de Janeiro

Número de Páginas – 360